São Luís | Maranhão
 
   


João Bentivi
 



O danado Pedro
O TRE no olho do furacão
A Primeira Ninguém Esquece
Resposta ao Governo do Maranhão
O poço não tem fundo
Metropolizar sem conversa fiada
Dois Josés
Resposta ao Doutor Pêta
O mundo é do bispo
Abrindo Caixas Podres
A volta midiática do aborto
Nota solta 1
Deu a louca nas elites, graças a Deus
Vendilhões da Justiça
Dino sem máscara
Como é bom ter o Lula
A felicidade se chama Obama
Em nome de Obama
É hora de caldo de galinha
Debates e orgasmos


Páginas: 1  2  3  >>  >>|

  Resultados: 1 a 20 de 46 Páginas

09/10/2018
O poço não tem fundo

 Tive tudo para ser avesso ao futebol. A Assembléia de Deus, nos meus tempos de criança, não só abominava esse esporte como todos os outros, e eliminava inclemente a todos que ousassem praticá-lo. Um pastor, no alto da intransigência e ignorância, pregou essa preciosidade: “irmãos, futebol não é de Deus, “fute” é o diabo e “bol” é bola, assim, futebol é diabo-bola”. Ouviram-se glórias a Deus e aleluias.

Como bem cedo, em minha vida, já tinha lido a Bíblia e, mesmo criança, entendi que não havia, no texto sagrado, nada contra o futebol, nunca fui na onda da ignorância e intransigência e jogava a minha bolinha, escondido decerto, mas jogava.

Por influência de meu irmão mais velho e pela ondas do rádio, tornei-me, boliviano e flamenguista.

Aos 14 anos cheguei a São Luís e a paixão pela Bolívia querida só aumentou. Não perdia um jogo no Nhozinho Santos e era uma verdadeira ginástica aos domingos: assistir o jogo e chegar sete e meia da noite ao culto, já que era músico e regente do coral da igreja. Conseguia.

Ao passar no vestibular de Medicina e tornar-me professor do CIPE, do meu saudoso amigo Marcus Venícius, além de torcedor, tornei-me sócio proprietário e membro do Conselho Fiscal, na gestão do Marcus. Aí, além de torcer, contribuía financeiramente com o clube. O nosso goleador Cabecinha (os mais velhos lembram-se muito bem), sem saber patavina de Biologia, participou de muitas das minhas aulas, sob forma de bicho.

Quando voltei da Residência Medica, o futebol maranhense começava o seu declínio, principalmente pela politização partidária, ou melhor, por políticos, muitas vezes alheios à história dos clubes, tentarem fazer dos mesmos trampolins eleitorais. O resultado não se fez esperar, acrescentando-se a mumificação do comando da federação, na figura do senhor Alberto Ferreira, que teve professor para tudo, exceto para fazer do futebol do Maranhão um futebol pelo menos comum.

Por essas safadezas, como eu, há muitos milhares de maranhense que abandonaram os estádios. Tenho, às vezes, um sentimento de culpa de consciência: meus filhos não torcem por nenhum clube do Maranhão.

Já tive vontade de, vencer minha indignação, e voltar a ativa como torcedor. Já pensei, inclusive, de mudar de rota e ajudar ao Moto ou MAC.  Mas como uma ducha gelada em paciente com febre, vejo o sofrido futebol maranhense ser notícia internacional, da pior de todas as formas: EXEMPLO DE SACANAGEM PURA E SIMPLES!!!

Para piorar, a suspeita é que não se tratou de um caso único, pois tanto o Moto, como o Viana usaram dos mesmos espúrios artifícios: SACANAGEM DUPLA!

Em toda minha vida de jornalista, mais de vinte anos, nunca tinha usado em um texto a palavra “sacanagem”, dessa vez uso-a para evitar vernáculo pior, tamanha a minha indignação.

Entendo que nesse futebol do Maranhão existem algumas pessoas sérias, a exemplo dos amigos Petrônio e Itamar, mas é evidente que a estrutura futebolística do Maranhão está definitiva e irremediavelmente corroída e corrompida. Não é possível remendos.

Como no passado, na arena convivem torcida e animais. A diferença é que o Coliseu tinha leões e, por nossos estádios convivemos com Mus musculus, Rattus novegicus e Rattus rattus.

Espero que os ratos não se sintam ofendidos!

 
cid luis - ser flamenguista é ser mal-caráter. Não mistura a minha Bolívia com essa droga. Aqui vocês tem a sua versão genérica vermelho-preto. Moto-Clube.

claudio - Tu não te manifestou sobre o que Marco D´éça comentou sobre ti. Quando foi o Louro tu te ofendeu. Afinal de contas que blogueiro és tu/ que fica num silêncio sepulca? eu gostaria de saber se tem vagas pra tua Academia Ludovicense de Letras/ jÁá que tu teve coragem de convidar o folclórico "Prof."sic) Fernando Nascimento de Moraes.

José Ricardo - Bentivi, porque tu não te candidata a Senador?, uma vaga pode ser tua.

João Bentiví - Senhor Claudio, quem decide a hora de me manifestar sou eu, entretanto convido o nobre leitor a ler esse blogue no sábado. A academia Atheniense não é minha, é da cidade ,mas à moda de qualquer academia que se respeite, não anda convidando e à cata de sócios. Quanto a sua postulação, basta procurar qualquer um dos imortais, apresentando as suas credenciais nas letras e nas artes, que a postulação será avaliada.

Juarez Cavalcante - Se vc quizer ajudar o glorioso MAC, estou à disposição para ajudar.....como diretor técnico.

Vinicius Nagem - Benteco, Te achei aqui na net, me manda um email para voltarmos a conversar vinicius.nagem@gmail.com Abração

 
Páginas:
Resultados: 1 to 6 de 6