São Luís | Maranhão
 
   


Matias Marinho
 



Já estamos no novo site
"Esquerda é coisa de gente rancorosa e invejosa", diz Lobão
Governadora lamenta a morte de Flor de Lys
Como a Prefeitura de São Luís vê sua casa
Guerrilha do Araguaia: Porto Franco homenageia João Carlos Haas Sobrinho
Uma greve que começou errada; conduzida de forma equivocada e de desfechos quase obscuros
TRT endurece a briga com os rodoviários grevistas
Greve: TRT diz não ter expedido mandado de prisão contra presidente do Sindicato
Mais uma vez, papelão de Waldir Maranhão no CQC. Pense num mala!
Bispo de Grajaú repudia decisão de juiz sobre aborto de anencéfalo
Um protesto contra a fedentina. Alô Caema, alivia a pressão aí sobre Castelo!
Caso Venancinho pode ser julgado nesta semana no TSE
Gilberto quer praça da Juventude em bairros de Paço
Pastor Bel revela que Edinho estaria em coma profundo
Abortada tentativa de rebelião em Pedrinhas
Luís Fernando faz abertura de Seminário em Rosário
Bacelar: o tresloucado, mas, nem tanto, defensor do governo na AL
Mais uma da Justiça: Desembargadores decidem arquivar processo contra juiz Douglas Amorim
Greve e nóticia sobre Edinho acabaram com a viagem de Roseana à Brasília
Desembargador revoga soltura do vereador de Tuntum


Páginas: 1  2  3  >>  >>|

  Resultados: 1 a 20 de 662 Páginas

24/05/2011
Bispo de Grajaú repudia decisão de juiz sobre aborto de anencéfalo

No site da diocese do município de Grajaú, a 608 de São Luís, o bispo Franco Cuter, divulgou nota de repúdio contra a decisão do juiz da 2ª Vara de Grajaú, João Pereira Neto, que autorizou o aborto de um feto anencéfalo de seis meses.

Franco Cuter se diz triste e decepcionado com a decisão do juiz. Ele entende o fato como algo contra a vida humana.

Dom Franco afirma no texto que o Hospital São Francisco de Assis, em Grajaú, onde foi realizado o procedimento, é uma instituição para a vida e que não cabe a ele realizar esse tipo de atividade.

“O Hospital é comprometido a defender e promover a vida, como lugar para realizar este tipo de ato, que felizmente depois não foi realizado”, destaca.

Ressaltando a vertente religiosa do seu discurso, Dom Franco diz que a decisão do juiz “contraria a vontade do Deus da vida e ao mesmo tempo representa um grave atentado contra a própria natureza humana”.

Clique aqui e leia na íntegra a Nota de Repúdio

 
 
Páginas:
Resultados: 1 to 0 de 0