São Luís | Maranhão
 
   


José Raimundo
 



Já estamos no novo site
Os arremessos fecais da plebe
A Líbia Equinocial
Os pecadilhos de "Santo Alencar"
Os batráquios e o bípede
Os crioulos do samba doido
A grande patuscada carnavalesca
Castelo dança e o povo “dança” José Raimundo Gonçalves
Brasil 51: o país da cachaça
Castelo: o saudosista da Ditadura
Senil ou incapaz?
As enxurradas da egolatria genocida
A lavagem do futebol geriátrico
A desigualdade racial
O pote e o mel
Entre “paulistas” e “nordestinos”
Olé Mazembe!
José de Ribamar Sousa do Reis
Aérea Dilma
A isonomia churda


Páginas: 1  2  3  >>  >>|

  Resultados: 1 a 20 de 96 Páginas

15/01/2011
A lavagem do futebol geriátrico

Pois não é que o futebol geriátrico está dando uma verdadeira lavagem na gente?

Depois do trágico (para nosso futebol) enlace entre a CBF do Ricardo Teixeira, que juntamente com a PETROBRAS, parecem duas caixas de Pandora, imunes a quaisquer CPI´s, e a TRAFFIC (êpa!), empresa reguladora do nosso futebol e jogadores, via empresários coligados, a pantomima transformou aquele que já foi o melhor futebol do mundo e motivo de justo orgulho para nós, num espetáculo circense, com lucros astronômicos para os empresários e picadeiristas em fim de carreira, banhados pelo luzerno dos holofotes alugados.

E os ingênuos bolsistas fazendo fila nas bilheterias! Que triste fim!

Não importa o que venha depois. Importa é que o time tenha torcedores, ingênuos o bastante, para acreditar nesse BBB de várzea, que a mídia insiste em transformar em noticia de manchete.

Não importa que o Flamengo, coincidentemente o time de maior torcida do país, venha a sofrer os danos do Corinthians, que no ano do seu centenário ficou mesmo no “senternada”, graças às contrações geriátricas de Ronaldinho rolha de poço e Roberto avenida Carlos. Só não vê que não quer! Mas alguém levou algum! E bota algum nisso! Lavou a burra!

E agora, como se não bastasse, repatriaram, por inservível no futebol italiano, o outro Ronaldinho (será sina do nome?) para frequentar mais as notícias de fofocas que as esportivas. Oxalá, não as policiais! E ainda tem empresa disposta a pagar R$ 1.800,000,00 (um milhão e oitocentos mil reais) por mês , para o jogador em exibição. Alô, Receita Federal! É dinheiro às pampas!...

Para se ter uma idéia, neste país de bolsa miséria e salário mínimo idem, o valor acima equivale a mais de 3.600 (três mil e seiscentos) salários atuais, aprovados neste mês, com desconto da Previdência Social.

E equivale a R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) por dia, ou seja 120 (cento e vinte) salários mínimos, o que traduzido em miúdos, representa R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) por hora, isto é, cinco salários do trabalhador, algo que poucas pessoas de classe média consegue mensalmente.

Para quem ficou sem preço na Europa, e não terá reposição financeira, como esperaria qualquer negociante, essa historia está muito nebulosa! Pelo menos nesse aspecto! E, só por isso, mereceria atenção das autoridades, caso estivéssemos num país de imparcialidade fiscalizadora.

Já pelo lado patriótico, que vergonha (para quem tem!) dá, ver que o país de Pelé e Garrincha, anda à cata, ruidosamente, de refugos pebolistas, como (perdoem-nos a comparação), os excluídos da festa procuram verduras e frutas jogadas fora, nas Centrais de Abastecimento e feiras da vida!...

- Cadê o Juiz?

 
 
Páginas:
Resultados: 1 to 0 de 0