São Luís | Maranhão
 
   


José Raimundo
 



Já estamos no novo site
Os arremessos fecais da plebe
A Líbia Equinocial
Os pecadilhos de "Santo Alencar"
Os batráquios e o bípede
Os crioulos do samba doido
A grande patuscada carnavalesca
Castelo dança e o povo “dança” José Raimundo Gonçalves
Brasil 51: o país da cachaça
Castelo: o saudosista da Ditadura
Senil ou incapaz?
As enxurradas da egolatria genocida
A lavagem do futebol geriátrico
A desigualdade racial
O pote e o mel
Entre “paulistas” e “nordestinos”
Olé Mazembe!
José de Ribamar Sousa do Reis
Aérea Dilma
A isonomia churda


Páginas: 1  2  3  >>  >>|

  Resultados: 1 a 20 de 96 Páginas

04/12/2010
Aérea Dilma

Ora viva! Estamos em estado de graça! Temos um leitor! E fiel e renitente! Tao afeiçoado à sra. Roussef, que já nos vê como seu crítico, ao mesmo tempo que nos supõe ardoroso defensor da sra. Roseana, nossa governadora. Enganou-se, porém, o dedutor das intimidades afetivas alheias.

Temos, por habito, avaliar as pessoas pelas atitudes, e não pelo cargo ou situação que possam ocupar eventualmente, considerando-se ser a própria vida terrena passageira, e, portanto, eventual. Como falou Jesus referindo-se às árvores e seus frutos.

Da governadora, devemos dizer que a conhecemos, mais proximamente, nos idos de 1998, quando éramos presidente da Favela do Samba e a convidamos para amadrinhar aquela agremiação carnavalesca, no que fomos, para surpresa de alguns, prontamente atendidos.

Finda nossa participação à frente da Favela, no ano de 2000, acompanho-a através dos noticiosos, e, como apartidário, continuo a votar-lhe equidistante amizade, já que nada nos devemos.

Da “presa e dente” como diz o colunista do Jornal Extra Zé buzão, pouco ou nada conhecemos. Apenas o que consta de uma ficha policial distribuída na internet, em época de campanha eleitoral, de informes pouco lisonjeiros. Nada que personifique uma “era” no passado.

Na verdade, mais recentemente, travamos conhecimento consigo, em pré campanha presidencial, albergada nas axilas do quase ex (vá e não ouse voltar!). Confessamos quase não reconhece-la, meses após, tantas as visitas que deve ter feito ao bisturi renovador de especialista, com as despesas pagas, como sempre, por nós.

E agora, no presente, quando prenuncia a compra de um avião para seus deslocamentos, já intitulado de “aero Dilma”, ao preço de quase quinhentos milhões de reais, concluímos existir não a era Dilma, mas “aérea Dilma”. Bacana, não?

Já o “aero Lula”, certamente que por inspiração de algum luminar congressista, desses que maquinam o aumento de noventa por cento dos próprios salários, poderá ser doado ao sr. Luís Inácio, ou vendido via Caixa Econômico, inserto no programa “nossa casa, nossa vida” (o avião era realmente o seu lar) pagável em trinta ou mais anos. E o eventual congressista será ministro!

Bochichos boateiros, espalham, no planalto central, que a sra. Roussef deseja um novo avião com medo de azar.

Que coisa!

Basta uma visitinha ao salão de mestre Bita, em Codó, caminho de muitos dos seus e das suas, para tirar a cafifa cefalópode que derrubou o Corinthians, a seleção brasileira, lesionou o Ganso e pirou o Neymar, dentre outras coisas. Saravá! Sarro de cachimbo!...

Além disso, podem contar com nossas fervorosas orações: precisamos de assunto para, pelo menos, os próximos quatro anos!...

 
Amin - Pra lá ave de mau agouro! Todo mundo sabe que tu é tererecoseiro, carnavalesco, coreógrafo, figurinista, ensaita e ficcionosta.

jose rainumdo - A mim,nao!A ti; que deves te bastar!

 
Páginas:
Resultados: 1 to 2 de 2